Seguir

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Expedição Brasil até ao Alaska - Diário do dia 17 a 30/09/2017


24 - Diário do dia 17 a 30/09/2017

Acordamos no horário normal e ontem chegou dois rapazes franceses com RV de Quebec que vieram conversar conosco, pois viram que somos viajantes também, e como o camping estava cheio veio pedir para dividir o sitio (espaço delimitado para no máximo dois carros). Conversei com a Valk que aceitou a ideia, eles tem que pagar uma taxa adicional ao camping e ainda por cima dividimos o custo do espaço. Rapaziada bem legal que irão descer a América do Sul de moto até Ushuaia em dezembro deste ano. Assim, nossa rotina da manhã foi terminar de lavar roupa, aproveitando a agua para a máquina, depois fizemos o dumping e enchemos o tanque do “Bisão” de água e fomos em direção a Salinas. Chegando pouco antes, viramos à direita e entramos na Rod.101 que nos acompanhará até o extremo sul da Califórnia.

Chegando no final da tarde na cidade de Paso Robles, fomos no walmart para fazer compras e pedir autorização para o overnight parking. Muito simpática a responsável pelo mercado e nos disse que o estacionamento é do município e que por eles não teria problemas. Deram a dica de estacionar onde ficam a noite os ônibus da municipalidade. Assim, com vinhos comprados fizemos a noite do vinho e pizza para o jantar de domingo.

De manhã fui calibrar os pneus do “Bisão”, faço a cada 20 dias, pois está sempre rodando e vem se mantendo a mesma pressão em libras. Depois fomos a um posto de combustível para encher o cilindro (botijão) de gás propano. Colocamos 2,3 galões. Após fomos para estrada e depois de Los Alamos para num grande espaço fora do acostamento para fazer o nosso almoço e também esperar o sol diminuir a sua força para continuar mais um pouco na estrada.

Assim, após o sol diminuir a sua intensidade, fomos para estrada novamente e continuamos pela Rod.101 até a cidade de Santa Bárbara. Ali entramos novamente para o Rod.1(Big Sur) costeando o Oceano Pacífico e fomos dormir no estacionamento de um condomínio de grandes lojas, inclusive o Walmart, na cidade de Oxnard. No dia seguinte, passamos por Los Angeles, mas não fomos fazer o roteiro de ir as grandes produtoras de cinema, visitar a calçada da fama, enfim, não era esse o nosso objetivo. Depois de passar a grande Los Angeles paramos na Rest.Área logo no início da Rod.5 em San Clemente. Outra coisa a constatar é que as vistas das praias do Oceano Pacifico nos EUA são muito bonitas e as casas são fantásticas, tanto na beira do mar como também nas montanhas da costa. Mas, vamos falar a verdade: em termos de praia as nossas são insuperáveis. Agora se tivéssemos o dinheiro que eles têm em fazer as infraestruturas que tem, dando preferência ao pedestre e a bike, mudaríamos muitas coisas nas nossas praias. Mas, creio que ainda temos uma boa chance de fazermos as mudanças necessárias privilegiando o ser humano.

Bem, como já havia comentado no post anterior, resolvemos ir em direção ao México pelo Arizona. Ainda não decidimos se por Nogales por onde entramos ou por um caminho novo El Paso. Então, já em San Diego, saímos da Rod.5(San Diego Freeway) e pegamos a Rod.805(Jacob Dekema Freeway) até o encontro com a Rod.8(Mission Valley Freeway) a qual depois de passar Yuma, onde reabastecemos o “Bisão” de diesel, fomos passar a noite numa Rest.Área bem novinha. As Rest.Área do Arizona são muito boas, creio que são as melhores da costa que já vi.

De manhã no deserto tem um céu muito azul e a coloração da terra e montanha dá um visual maravilhoso. E de manhã cedo é bem fresco a temperatura. Logo após o nosso café da manhã e ajustes normais de início de viagem, continuamos pela Road.10 até a cidade de Marana antes de Tucson, onde dormimos no estacionamento do Walmart. O estacionamento tem grande parte dele coberto com placa solar. E os carros estacionam embaixo delas. Bem bolado, pois tem sol de sobra e isso gera muita energia. Aproveitamos para fazer as últimas compras e também atualizar o blog e dormimos uma noite muito tranquila.

Logo de manhã, bem mais cedo do que de costume, tomamos o nosso café da manhã e seguimos pela Road 10 em direção ao Novo México. Muito lindo a região, montanhas e o capricho nas instalações das Informações Turísticas. Aqui foi a terra do índio Gerônimo. Assisti a muitos filmes americanos e é logico que sempre levavam a melhor com os índios, mas o Gerônimo incomodou bastante.  Em Vado no Novo México, reabastecemos o “Bisão” de diesel, gasolina para o gerador e também conseguimos agua boa para encher o tanque. Assim seguimos até a cidade de El Paso no Texas e entramos na cidade em direção a Cidade de Juarez México para os tramites de saída e entrada no México. A saída dos EUA foi simples, pois não teve vistoria no “Bisão” somente a entrega do papel do visto provisório. Como já tínhamos feito na entrada do México os documentos na Aduana não foi feito nada, somente passamos o carro no Raio X e demos a nossa entrada na Migração, pagamos a taxa de $ 500,00 pesos cada um, pois vamos ficar mais de 7 dias no México e pronto. Tudo muito simples e sem tumulto. Depois seguimos até a Villa Haumada pela Rod. 45 para fazer o nosso almoço, pegar uma sombra, pois o calor era forte, mas isso já era por volta das 14:00 horas e aproveitamos para a sesta também. Mais tarde, já mais fresco, fomos completar o tanque de diesel do “Bisão” e continuamos na Rod.45 até o primeiro posto de pedágio, onde pagamos $164,00 pois o nosso é rodado simples e aproveitamos para passar noite no estacionamento do pedágio, pois tem segurança e também porque não viajamos a noite.

Como estamos no deserto, acordamos um pouco mais cedo do que de costume para andarmos um pouco mais na parte da manhã, pois é mais fresco. Assim tocamos a manhã com muito sol e calor, pela Rod.45 D (Cotas – pedagiada), mas por volta do meio dia, encontramos uma sobra no acesso da cidade de Meoqui e ali paramos para fazer o nosso almoço, é lógico ligando o gerador para fornecer energia e ligarmos o nosso ar condicionado. Sem isso, é de sofrer muito pela alta temperatura, na faixa de 38ºC. Quando a temperatura diminuiu um pouco, e isso já era 4 horas da tarde continuamos pela mesma rodovia, passando pela cidade de Delicia, Camargo e na cidade Jiménez passamos para a Rod. 49 D (Cotas – pedágio) e alguns kms adiante dormimos na praça de pedágio. É sempre recomendável no México, pelo menos nesta região, dormir nestes locais que são bem vigiados. Bem esses são os conselhos dos próprios camioneiros e funcionários dos pedágios. Os pedágios são um pouco caros, mas em contrapartida se tem um pouco mais de apoio.

Os nossos dias tem sido assim por esta região. Continuamos pela Rod.49 D passando por Rio Grande, Fresnillo, Zacateca e Guadalupe e ali no Walmart fizemos umas compras para alguns dias. Tivemos que ajustar o nosso relógio em mais 2 horas, pois mudou na região de Chihuahua. Já era depois das 4 horas quando saímos de Guadalupe e fomos dormir num posto Pemex onde também reabastecemos de diesel e de agua potável o nosso “Bisão”.

De manhã, com pouco de frio e chuva fina, temperatura por volta de 15ºC e altitude em torno de 2.199 msnm, assim seguimos pela mesma rodovia até San Luis de Potosí, ali entramos na Rod.57 até a cidade de Querétaro, onde dormimos a noite num posto Pemex. Nesse trecho a viagem foi um pouco cansativa, quase não rendeu em função de muitas obras na rodovia e também a pista tinha muitos buracos.

Após o nosso café da manhã e de verificar o nosso “Bisão” se está tudo certo, continuamos pela Rod. 57 D passando por San Juan Del Rio, e quando faltando uns 70 kms para a Cidade do México. Na sequência, entramos a esquerda pela Rodovia Arco Norte (tipo rodoanel), passando por Tula e depois de quase 80 km percorridos, entramos novamente a esquerda para a Rod.132 D (Pedágio). Subimos novamente para atravessar a Serra Oriental, e mudamos para a Rod.130 D e começamos a descer praticamente 2.650 msnm. Passamos por vários túneis, viadutos e muitas obras e também chuva e nevoeiro. Como as descidas eram quilométricas, mantínhamos o cuidado com o freio e seguramos o “Bisão” na marcha. Havia várias pistas de fugas para os caminhões sem freios. Após descermos grande parte da serra passamos a noite no estacionamento do posto de pedágio.

Acordamos ainda escuro, 07:30 horas, nos preparamos para continuar a nossa descida pela mesma rodovia. Passando a primeira entrada para Poza Rica, entramos na Rod.180 D por 40 kms, logo entramos a direita em direção a cidade de Panpantla e depois entramos na Rod. 127 até as Ruínas El Tajín. Onde nos anos 900 a 1.150 D.C era o centro político e religioso da civilização Totonaca. Tajín era o deus dos raios e trovões. Na entrada das ruínas tem um mastro enorme onde Los Voladores (os voadores) fazem um antigo ritual Totonaca, jogando-se do mastro e desenrolando da corda até a sua chegada ao chão. Assim, passamos o dia visitando as ruínas, vendo esse espetáculo dos voadores e dormimos no estacionamento do parque.

Amanhã seguiremos com destino a Veracruz, mas isso conto no nosso próximo post.
Camper diferente em Santa Barbara-California

Campo de Pelota - El Tajin

El Tajín

El Tajín

El Tajín

El Tajín - Los Voladores

El Tajín - Los Voladores

El Tajín - Los Voladores

El Tajín - Los Voladores

Estacionamento do Walmart em Marana.Arizona

Filmagem entre Santa Barbara a San Diego - California

Fronteira El Paso.Texas. EUA.MÉXICO

Fronteira El Paso.Texas. EUA.MÉXICO

Lordsburg-Novo México até El Paso  Texa

Lordsburg-Novo México até El Paso  Texa

Meoqui. Rod 45

Moto aluguel em Santa Barbara-California

Rod 45 da cidade de Juarez até Chihuahua

Rod.130 D de (Mexico a Poza Rica)

Rod.130 D de (Mexico a Poza Rica)
Rod.130 D de (Mexico a Poza Rica)

Santa Barbara a San Diego - California

Santa Barbara a San Diego - California

Santa Barbara a San Diego - California

Santa Barbara a San Diego - California

Santa Barbara a San Diego - California
Santa Barbara a San Diego - California

Santa Barbara a San Diego - California

Santa Barbara a San Diego - California

Santa Barbara a San Diego - California

Santa Barbara a San Diego - California

Santa Barbara a San Diego - California
Santa Barbara -California

Santa Barbara -California

Santa Barbara -California

Santa Barbara -California

Santa Barbara -California

Santa Barbara -California
Santa Barbara -California


Santa Barbara -California
Santa Barbara -California

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Expedição Brasil até ao Alaska - Diário do dia 04 a 16/09/2017

23 - Diário do dia 04 a 16/09/2017
Levantamos por volta das 07:00 horas, fizemos a nossa rotina normal de todas as manhãs e ajeitamos o “Bisão” para a nossa entrada nos EUA.
A paisagem até a fronteira é muito diversificada, com vários condomínios e cidades tipo dormitório para quem trabalha na grande Vancouver. Assim chegamos a fronteira e uma fila enorme para os trâmites. Nós tínhamos verduras, frutas e respondemos sempre a verdade para os oficiais de fronteira. Assim, o funcionário muito educado, foi fazer a inspeção sanitária. Tirou-nos apenas a banana e tomate. Deixou outras frutas e cebolas. Todos sabem que o RV é uma casa sobre rodas, se você não tiver nada de frutas ou verduras, vão desconfiar que estão mentindo, podem até fazer uma vistoria completa e isso demora muito tempo, pois vão tirar as coisas de lugar e fica uma bagunça. Melhor sempre dizer a verdade e ter algo para a análise.
Tocamos pela Rod. 5 dos EUA rumo ao Parque Nacional Monte Rainier. Chegamos próximo ao Parque e num pequeno hotel da cidade que estava cheio pedimos onde poderíamos fazer overnight parking. Indicou um hotel onde estava fechado para esta temporada e assim fomos para lá. Passamos a noite muito tranquila estacionados na frente do hotel fechado e fomos visitar o parque no dia seguinte. Como tínhamos um cartão que vale para todos os parques nacionais dos EUA, não pagamos nada. Este cartão custa USD 80(oitenta dólares) e pelos parques que nós visitamos já se pagou a muito tempo. Vale a pena para quem vier para os EUA e visitar os parques nacionais. Bem, vamos ao assunto Monte Rainier. É um dos parques mais antigos dos EUA e muito visitado por eles. É como se fosse a Meca dos Parque Nacionais para eles e eles têm muito orgulho disso. Infelizmente como é verão, tem muita fumaça dos incêndios florestais, prejudicando bastante a visibilidade e as fotos. Mesmo assim, fomos seguindo pela rodovia do parque e quando chegamos no Paradise Visitor Center estacionamos o “Bisão” e fizemos o nosso almoço. Estacionamento estava repleto de carros e RVs. Após o almoço e depois de descansarmos um pouco fomos fazer uma trilha até bem próximo ao Monte Rainier. A trilha era muito cansativa mas vale a pena. Na volta assistimos um filme do parque no Teatro do Centro de Visitantes e continuamos a travessia do parque por estradas boas mais sinuosas até a Rod.123.
Depois entramos na Rod.12 e numa Rest.Área passamos a noite. No dia seguinte, como de costume, após o nosso café da manhã continuamos pela mesma rodovia até o encontro com a Rod.5 e entramos nela. Seguimos atravessando o estado de Washington e entramos no Estado do Oregon. As rodovias são impecáveis, mais o tempo não está nos ajudando, pois, como já falei antes, o fogo nas florestas nos tiram um pouco da visibilidade. É como se estivéssemos num nevoeiro, fica tudo embaçado e assim não podemos ter boa visualização das paisagens. E ainda por cima tinha o cheiro de queimado. A fumaça para nós era insuportável.
Dormimos novamente em uma Rest. Área da Rod. 5, muito espaçosa e com muitas árvores enormes. A noite teve uma pequena chuva e pelo menos minimizou o cheiro de fumaça e pudemos dormir mais tranquilo. Assim, seguimos pela Rod. 5 reabastecemos o “Bisão” de água e combustível. A rodovia ainda continua com muita nebulosidade por causa da fumaça. O Estado de Óregon é muito bonito com muitas fazendas e montanhas, mais ficou prejudicado a nossa travessia em função do informado acima. Fizemos o nosso almoço numa Rest. Área, descansamos um pouco, e com chuva permanecemos na mesma rodovia até a cidade de Grants Pass. Dali seguimos pela Rod.199 em direção ao litoral para sairmos do meio da fumaça. Chegamos na cidade de Crescent City e ali depois de fazermos umas compras dormimos no estacionamento do Walmart. Como estava chovendo, e tínhamos algumas coisas para ajustar na casa e também precisava atualizar os programas do meu Notebook em função da restauração que tive que fazer, ficamos mais um dia. Mas nada complicado para quem tem o tempo a seu favor. Não precisamos fazer nada com pressa. Afinal já estávamos na Califórnia e vamos ter ainda tempo de ir para mais alguns parques antes de o frio chegar.
Assim o sol voltou a brilhar e nós fomos para a estrada. Em Crescent City pegamos a Rod.101 que corta o Redwood National Park e também vamos tendo como companhia ao nosso lado o Oceano Pacífico. O dia vai passando rápido, paradas e mais paradas para admirar o visual, e a noite chegando...fomos dormir numa Rest. Área do Humboldt Redwood State Park.
Na manhã seguinte, tocamos pela mesma rodovia até a cidade de Leggett. Dali pegamos a famosa Rod. 1 da Califórnia. Essa rodovia vai costeando o mar, com muitas falésias, subindo e descendo o tempo todo e com curvas muito fechada. A estrada é estreita e sinuosa, mas muito bonita. Depois de cada subida tem um mirante para avistarmos o mar, ou quando cruza florestas de enormes sequoias. O nosso dia passa assim, e já no final da tarde encontramos um mirante com bela vista do pôr do sol e ali resolvemos passar a noite. Um casal de americanos que conhece bem a América do Sul (Nicolas e Nancy – 48 anos de casados), com seu possante Mustang conversível, vieram conversar com a gente e batemos um longo papo em espanhol. Foi muito divertido o simpático casal. Preocupados queriam saber onde íamos dormir. Eu disse aqui, pois com um visual desse não teria lugar melhor. Ainda mais que rolou um vinho com queijos e pão. Maravilha!!!!
A noite foi muita linda com o belo visual das falésias. Pudemos dormir com o barulho das ondas do mar. O sol já estava a pino quando começamos a tocar a viagem pela Rod.1. Muito sobe e desce, curvas muito fechadas, pista estreita e de sobra o precipício e o mar lá embaixo. É muita atenção na direção e a Valk já estava enjoada e tonta das curvas. Almoçamos dentro de um parque muito sombreado com as sequoias gigantes. Afinal aqui todas as sequoias são gigantes...assim, para melhorar a condição da Valk, bem antes de Valley Ford entramos a esquerda e pegamos a Rod.116, passando por muitos vinhedos e pequenas cidades. Nesse novo itinerário as estradas pelo menos não tinha os precipícios, e sim praticamente dentro de um parque com as já faladas sequoias gigantes nos acompanhando.
Em Sebastopol dormimos a noite num estacionamento de um shopping. Noite tranquila, nos preparamos para tomar o rumo da Rod.101, reabastecemos o “Bisão” e passamos pela Golden Gate em San Francisco. Espetacular essa ponte! E logo que termina a ponte entramos a direita e fomos para o estacionamento onde é free por 4 horas. Enquanto a Val fazia o Almoço no estacionamento, eu andei um pouco para explorar o lugar, tirar informações e aproveitei para tirar algumas fotos, já que o sol estava bem legal para isto.  Voltei para almoçar e depois disso o tempo mudou, ventou muito, e ficou tudo completamente tomado pela neblina. Quem esperou para visitar a tarde o parque e a ponte ficou sem vê-la. Mais com esse clima também fica bonita, pois foi palco de muitos filmes, inclusive de terror.
Esperamos anoitecer e fomos para a Vista Point que fica antes da entrada da ponte Golden Gate. Ali é permitido passar a noite. A vista é espetacular mesmo com a ponte tomada pela neblina. A noite estava fria com muito vento e ainda veio a neblina com a garoa. Dormimos duas noites no mesmo local. De manhã pegamos o “Bisão” e fomos explorar San Francisco. Interessante ver a máquina que mexe com as divisões da pista da ponte, alternando o número de pista conforme o fluxo. Normalmente tem três pistas para cada lado. Mas, em alguns horários fica com 4 pistas de um lado e 2 de outro e tudo muito rápido e seguro, e sem complicação no trânsito.
San Francisco é uma cidade ímpar nos EUA. Muitos movimentos começaram em San Francisco.  Citando alguns: foi a primeira cidade a extinguir as sacolas plásticas dos supermercados; reaproveitamento do lixo e o gás que gera é utilizado para o transporte público; movimento para substituir o carro pelas bikes, por isso muita ciclovia e eles tem muitos espaços públicos. Cada vez mais pessoas estão abolindo os carros pelas bikes. E muitos outros movimentos que no momento não lembro. No Canadá fiquei impressionado com Vancouver e das cidades que vi por aqui San Francisco também me cativou, inclusive pelo clima.
Hoje dia 14/09/2017 saímos na parte da manhã e escolhemos o caminho pela rota história percorrendo toda San Francisco, Palo Alto e assim até a cidade de Monterey na Califórnia. Fomos na informação turística para pegar informação do lugar e soubemos que a Rod. 01 Big Sur estava fechada por ter caído uma ponte e desmoronamentos. Assim vamos alterar o nosso trajeto com destino ao sul da Califórnia.
Assim ficamos três noites no camping veteranos em Monterey. Muito legal o lugar, quieto dentro de um parque, com banheiros para os campistas de barracas, dump station com agua potável para os RVs. Mais uma vez, foi dia de faxina para pôr a casa em ordem, lavar roupa e fazer as manutenções normais do carro. Aproveitei para trocar o filtro do ar condicionado e fazer a manutenção no gerador.
Aproveitamos também para percorrer o trecho da Rodovia 1 até vila Big Sur. Dali em diante está interrompida. São praticamente 27 milhas e depois tem que voltar. Mas o visual é deslumbrante, lindo e lembra algumas de nossas praias. Esta região de Monterey já foi palco de mais de 200 filmes. O clima é muito bom em torno de 23ºC com sol. Por isso é uma região de muitos campos de golfe, de vinhedos, casas de muitos artistas e milionários. Circulamos muito e vários pessoas vinham conversar conosco sobre a nossa expedição. Outros buzinavam e faziam o sinal de hang loose.
Estamos repensando a nossa estadia nos EUA, pois tínhamos como planos iniciais deixarmos o carro por aqui, e irmos ao Brasil, e voltarmos em fevereiro para fazermos a Costa Leste até o Canadá. Passamos por muitas reflexões e temos o nosso objetivo inicial cumprido. Então, precisando fazer exames médicos, e como se sabe no Brasil será férias final de ano, e é muito difícil fazermos o que temos que fazer e voltar em fevereiro. E como sei, não é conveniente deixar um carro muito tempo parado, ou casa, pois fora de uso, na volta sempre teremos uns problemas para resolver, e nem sempre vamos conseguir apoio técnico por aqui. Mas, vamos descendo até o sul da Califórnia, creio que San Diego, e aí sim tomaremos a decisão final. Essa decisão será de começarmos a volta para o Brasil, e daqui mais alguns anos voltarmos para completar esta segunda etapa (Costa Leste). Mas, vamos seguindo com a expedição, pois tem muita coisa para ver até chegarmos em casa novamente.

Amanhã vamos voltar até a cidade de Salinas e pegar a Rod.101 e continuaremos nela até o final do Sul da Califórnia. Mas, isso vou contar no próximo post.
Elbe Junction

Elbe Junction

Fort Ross - Rod 1

Fronteira Canadá EUA

Monterey - Road 1 Big Sur

Monterey - Road 1 Big Sur

Monterey - Road 1 Big Sur

Monterey - Road 1 Big Sur

Monterey - Road  1 Big Sur - Bixby Bridge  

Monterey - Road  1 Big Sur - Bixby Bridge  

Monterey Camping Veteranos

Parque Nacional Mont Rainier

Parque Nacional Mont Rainier

Parque Nacional Mont Rainier

Parque Nacional Mont Rainier

Parque Nacional Mont Rainier

Parque Nacional Mont Rainier

Parque Nacional Mont Rainier

Parque Nacional Mont Rainier

Parque Nacional Mont Rainier

Parque Nacional Mont Rainier

Point Arena Farol a Fort Ross - Road 1

Redwood National Park - Rod 101

Redwood National Park - Rod 101 Point Arena

Redwood National Park - Rod 101

Redwood National Park - Rod 101

Redwood National Park - Rod 101

Redwood National Park - Rod 101 Point Arena

Redwood National Park - Rod 101 Point Arena

San Francisco

San Francisco

San Francisco

San Francisco

San Francisco

San Francisco

San Francisco

San Francisco

Smith River NRA-Califórnia

Viaduto de Portland - Oregon